Avante

  /  Educação   /  Mais que nunca é preciso fortalecer o vínculo família-escola

Mais que nunca é preciso fortalecer o vínculo família-escola

Mesmo sem as crianças presencialmente em sala de aula, as escolas logo retomaram suas atividades, após a perplexidade inicial em que o mundo foi colocado quando deflagrada a Pandemia da Covid-19.

Durante a pandemia, as escolas estão indo em busca dessas famílias e as famílias foram à escola. Com a possível retomada do ensino presencial, ou híbrido, há uma oportunidade grande de não reerguer os muros, que historicamente separam essas duas instâncias tão fundamentais ao desenvolvimento das crianças.

A pandemia impulsionou a necessidade da busca ativa por essas famílias. Ana Luiza Buratto, vice-presidente da Avante – Educação e Mobilização Social, que coordena projetos com foco na defesa de direitos e, entre eles, a parceria escola, família e comunidade, nota que nunca antes a família esteve tão próxima das escolas e enxerga uma oportunidade de torná-la, cada vez mais, um sujeito no processo de aprendizagem.

Esses são aspectos tratados no curso ‘Relação família-escola: acolhimento às famílias’, fruto da experiência com o município do Paulista (PE), no desenvolvimento da Tecnologia Relação Escola-Família-Comunidade, pela Avante, em parceria com o Itaú Social, pelo Programa Melhoria da Educação. Essa experiência foi iniciada em 2019 e foi desafiada pela urgência de adaptação do trabalho com as famílias ao contexto da pandemia. “Isso foi feito sem comprometer a segurança dos envolvidos. Vimos, por exemplo, que para estar com as famílias as atividades teriam que acontecer à noite. E assim fizemos!”, conta Ana Luiza Buratto, que coordenou o Projeto.

Para Ana Luiza, a família deve ser ouvida, acolhida com muito carinho e sensibilidade. Suas condições de acesso à Educação precisam ser radicalmente consideradas. “É no contexto da família que as identidades se conformam. Onde as crianças se desenvolvem, se humanizam. Ela não pode ser apenas um meio para que a criança faça a tarefa e outros ritos escolares”, disse.

A especialista complementa, lembrando que todos somos responsáveis por todos, mas o acesso à Educação, com ou sem pandemia, é um direito. “O Estado tem o dever de assegurar que todas as famílias tenham acesso à Educação. E o olhar para as famílias deve ser solidário, capaz de reconhecer as pessoas nas suas condições”, reivindica.

Outro aspecto sublinhado por Ana Luiza, e que está presente nas dicas e materiais do curso, é a importância de um olhar intersetorial ao pensar as políticas públicas de atenção às especificidades impostas por esse momento. Observa que, com retorno ao presencial ou não, as pessoas estão marcadas pelo luto, por mudanças concretas em suas vidas, como o aumento do desemprego, que acirra as vulnerabilidades. “Fortalecer o vínculo família-escola, é considerar tudo isso”, disse.

As falas de Ana Luiza são fruto de um debate promovido pela equipe da plataforma Conviva Educação, do Polo Itaú. Os conteúdos desenvolvidos ao longo do desenvolvimento da tecnologia no percurso Educação na Pandemia. O evento convida para acesso ao Curso e pode ser acessado no YouTube da plataforma. Clique aqui para assistir.

O Curso

O curso Relação família-escola: acolhimento às famílias está disponível na Plataforma do Itaú Social. É oferecido na modalidade online/autoformativo, com carga horária de duas horas e emissão de certificado. Está pensado, prioritariamente, para Secretários municipais de Educação e Gestores de escolas. 

O objetivo do curso é apoiar os dirigentes municipais e suas equipes durante o período da pandemia, principalmente para planejar ações sólidas de fortalecimento da relação das famílias com as escolas, de forma sensível e acolhedora.

Compreender o papel indutor da secretaria de educação na relação da escola com as famílias como um processo contínuo e necessário para o bem-estar da comunidade escolar é a principal mensagem do curso.

O curso oferece ferramentas que permitem aos secretários municipais e dirigentes escolares customizar seus planos de ação às especificidades de cada contexto em que atuam.

Os conteúdos oferecidos em vídeos e outros formatos passam por questões como “Quem são as famílias parceiras da escola pública?”, “Por que investir no acolhimento às famílias?”, “Por que é importante fortalecer a relação escola-família durante a pandemia e no processo de reabertura das escolas?”

Oferecido de forma gratuita, você pode acessar ao AQUI.