agosto 2021

  /    /  agosto

Julho das Pretas: mulher e empreendedorismo no Movimento dos sem Teto da Bahia O potencial empreendedor das mulheres negras e suas habilidades foram discutidos durante um encontro realizado no dia 28 de julho, na Ocupação Quilombo do Paraíso, no Subúrbio Ferroviário de Salvador (BA). O objetivo foi promover a escuta das mulheres sobre as suas percepções quanto ao empreendedorismo. A atividade

Apresentar sugestões para uso das áreas verdes e espaços abertos dentro e fora das escolas na retomada das aulas no contexto da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), que já ultrapassa um ano e meio. Esta é a proposta do documento Planejando a reabertura das escolas: as contribuições das pesquisas sobre os benefícios da natureza na educação escolar, iniciativa do Instituto

Nesta terça (24/8), às 14h, a Avante – Educação e Mobilização Social, representada por Andrea Fernandes, diretora de Comunicação, leva posicionamento à audiência pública no Superior Tribunal Federal (STF), que trata da inconstitucionalidade do Decreto nº 10.502. Também conhecido como Decreto da Exclusão, ele institui a Política Nacional de Educação Especial. Em defesa da educação para todas as pessoas, a

Em termos relativos, a democracia brasileira está na primeira infância. Há apenas 36 anos saímos de um regime ditatorial, que perdurou por mais de 20. Muitos dos cidadãos de hoje nasceram durante  esse período sombrio da nossa história e são aprendizes da participação para garantia de direitos sociais. Por isso, e pelo contexto social, econômico, político e de saúde que

Representantes da comunidade escolar da Cidade Baixa e da Avante - Educação e Mobilização Social entregaram às representantes da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação/Sessão Bahia (UNCME) e do Conselho Municipal de Educação de Salvador (CME) uma “Carta de recomendações”  para o retorno seguro às atividades escolares. “Fico muito feliz, não somente pelo exemplo de cidadania que esse movimento traz,

Representantes da comunidade escolar produziram e assinaram documento com recomendações para garantir o Direito à educação na Pandemia, endereçadas a órgãos e instituições do poder público responsáveis pela normatização e implementação do planejamento para retorno das atividades presenciais nas escolas públicas municipais.  Movidos pela falta de acesso à Educação dos alunos da rede pública municipal por quase um ano e meio,

O Plano Nacional da Primeira Infância (PNPI/2020-2030) tem validade pelos próximos dez anos e aponta os caminhos técnicos e políticos para a ação efetiva do Estado pela garantia de direitos das crianças de 0 a 6 anos. Por isso, a importância de engajamento de prefeitos e prefeitas no enfrentamento do desafio de elaborar ou atualizar seu Plano Municipal pela Primeira