Avante

  /  Home Page   /  Avante monitora Planos de Ação de enfrentamento ao Trabalho Infantil

Avante monitora Planos de Ação de enfrentamento ao Trabalho Infantil

Avante monitora Planos de Ação de enfrentamento ao Trabalho InfantilMonitorar os Planos de Ação Articulada (PAA) elaborados pelos reeditores sociais, voltados à prevenção e combate ao trabalho infanto-juvenil foi um dos objetivos da 4ª visita da equipe do Todos Juntos ao Território de Itaparica, mais especificamente aos polos Paulo Afonso e Chorrochó, entre os dias 21 e 26 de setembro. Na ocasião, também foram realizadas oficinas com grupos de crianças e com grupos de famílias em cada um dos seis municípios.
“O monitoramento dos Planos de Ação revelou, de modo geral, que os municípios conseguiram avançar nas suas propostas”, disse Ana Luiza Buratto, coordenadora do projeto. Alguns realizaram ações nas escolas com pais e estudantes, outros focaram na reedição da formação do Todos Juntos com profissionais da educação e assistência social. Houve também iniciativas culturais como o projeto Curta na Esquina, no município de Abaré, no qual, toda quinta, são passados curtas voltados para as crianças.
Polo Paulo Afonso
Em Paulo Afonso, cidade que dá nome ao polo que inclui Gloria e Rodelas, criou-se um grupo na rede social, visando a comunicação e a mobilização dos participantes. Em cumprimento ao Plano, a primeira ação executada foi o diagnóstico do Trabalho Infantil (TI) no município, tendo como primeiro passo a aplicação de um questionário junto aos alunos de diversas escolas públicas. “O diagnostico ainda está em processo de execução, mas os dados levantados surpreenderam os reeditores, que não sabiam da existência de tantos casos de TI”, contam Judite Dultra e Maria Célia Falcão, consultoras associadas da Avante e consultoras técnicas do projeto no pólo Paulo Afonso.
Em Gloria, os reeditores sociais iniciaram a execução do PAA com a realização, no dia 16 de setembro, de uma reunião ampliada na Câmara dos Vereadores, em que estiveram presentes 65 pessoas entre autoridades, lideranças e representantes de instituições públicas e privadas do município, com o objetivo de fomentar dialogo acerca do que é o trabalho Infantil e dos desafios ao seu enfrentamento.
Em Rodelas foi realizada uma reunião com a rede de proteção para explicar e divulgar os objetivos e ações do projeto Todos Juntos, oportunidade em que estiveram presentes 24 pessoas. Entre elas, diretores de escolas, agentes comunitários de saúde, conselheiros tutelares, o coordenador da Vigilância Sanitária, a coordenadora da Atenção Básica, e reeditores sociais.
Polo Chorrochó
A cidade de Chorrochó dá nome ao polo do qual fazem parte também os municípios de Macururé e Abaré. A técnica da Secretária de Educação do município, Gleice Katia Oliveira, conta que o PAA começou com uma reedição da formação do Todos Juntos. “Foi muito bom, explicamos sobre o projeto, fizemos a dinâmica dos mitos sobre TI, que foi um pouco divergente, pois as pessoas achavam que não tinha Trabalho Infantil aqui. No fim, entenderam o que é o Trabalho Infantil e que ele ocorre na região”, conta.
Ela contou ainda que o PAA mostrou que um dos grandes desafios que o município enfrenta é lidar com a retirada da criança em situação de TI. “Ainda não temos outras atividades para ofertar. Outro grande desafio é desmitificar o Trabalho Infantil, no sentido que ele não dignifica a criança, e também realizar o trabalho com as famílias”, acrescentou.
Em Macururé, a assistente social, Roberta Bahia, conta que foi realizada no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) uma escuta com as crianças para saber o que elas gostariam que fosse trabalhado no grupo. Ela relata ainda que os resultados já são visíveis. “Antes não tinham denúncias de TI, agora já aparece. Acredito que quando falamos para as crianças e explicamos o que é o TI e como pode ser denunciado, elas ficam mais atentas e levam para as famílias. Acredito que esse seja o motivo do aparecimento dessas denúncias”.
Roberta Bahia contou também que os resultados positivos dão força para enfrentar os desafios. “Temos, por exemplo, dificuldade com o transporte de profissionais para a zona rural. Por isso, temos que pensar em pequenas ações para o PAA, mas que tragam grandes resultados, para não ficar só no papel”, disse.
Em Abaré, o secretário de Ação Social, Perciliano Castro, destaca o fato de já haver consolidado a Comissão do TI no município. “Além disso, fizemos uma reunião com os pais que moram no assentamento do MST para falar sobre TI e evasão escolar, 40 pais participaram”, relata.
Outro destaque do PAA no município é a realização do projeto Curta a Esquina, realizado todas as quintas. São apresentados filmes de curta metragem e teatro de marionetes, abordando o Trabalho Infantil. A ação tem atraído crianças, adolescentes e adultos. “Temos feito, também, um trabalho informativo com os comerciantes orientando–os sobre o TI e alertando que a partir de 2017 a prefeitura não dará alvará para quem tiver criança trabalhando em seu estabelecimento”, conta o secretário.