Avante

  /  CINZA   /  Campanha “Cadê nossa boneca?” Impacta mais de 400 mil pessoas no facebook em menos de dois meses

Campanha “Cadê nossa boneca?” Impacta mais de 400 mil pessoas no facebook em menos de dois meses

Campanha “Cadê nossa boneca” Impacta mais de 400 mil pessoas no facebook em menos de dois meses
A campanha “Cadê Nossa Boneca?”, promovida pela Avante – Educação e Mobilização Social, vem ganhando força. Lançada no dia 07 de abril deste ano, com o objetivo de gerar reflexão sobre padrões estéticos e representatividade na infância, a iniciativa já impactou mais de 400 mil pessoas no Facebook.
Com pouco mais de um mês (final de maio) a página da companha já contava com cerca de 12.500 fãs, 417 mil usuários impactados pelas publicações, 300 mil visualizações de vídeos, 3.800 compartilhamentos e 20 mil curtidas em publicações.
A campanha continua a todo vapor a fim de sensibilizar não só a sociedade, mas também a indústria e o varejo para a necessidade de diversificação nos perfis dos brinquedos disponibilizados para as crianças. Para levantar a questão e incentivar a interação com o público, novos conteúdos são disponibilizados periodicamente em canais como Facebook e Instagram.
Criada pelas amigas Ana Marcilio, Mylene Alves e Raquel Rocha, a ideia da campanha nasceu durante uma arrecadação de brinquedos para doação, na cidade de Salvador, ao perceberem que, apesar da grande quantidade e variedade de bonecas, não havia nenhuma negra.
“Diante daquela situação, nós começamos a questionar por que não doavam bonecas negras. E a resposta é simples: porque não há bonecas com essas características no mercado. E não há porque elas não são fabricadas”, relembra Ana Marcilio, idealizadora da campanha e coordenadora de projetos da Avante.
De acordo com pesquisa realizada em 2015 pelo IBGE, negros e pardos representam 53,6% da população brasileira. Entretanto, na percepção da ONG, menos de 10% das bonecas à venda no País são negras.
Avante
A Avante atua para a garantia dos diretos sociais básicos de crianças, jovens, mulheres, famílias e profissionais da educação, agentes comunitários, entre outros públicos. Sua missão é contribuir para a formação do cidadão, pela educação e o desenvolvimento de tecnologias de intervenção social, visando à garantia dos direitos sociais básicos e ao fortalecimento da sociedade civil.
Com foco nas crianças, em seus vinte anos de atuação, além de executar projetos de garantia de direitos desse público, em especial a participação infantil, vem liderando campanhas que vão desde o combate à violência doméstica, com o vídeo que aderiu a campanha internacional sobre o tema: Bata na Porta e produziu, junto com as crianças, o jingle Menino Bernarndo.