Contribuições para a equipe de transição da educação – Governo Lula

Na carta, a Rede apresenta um diagnóstico dos impactos, em especial do período de distanciamento social imposto pela pandemia do COVID-19, relembrando as lacunas deixadas pelo então Ministério da Educação. “O Ministério da Educação desempenhou de forma insuficiente e inadequada seu papel de formulador, coordenador e articulador de políticas públicas. A carência de diretrizes gerais, a escassa assistência técnica e financeira oferecida aos Estados, ao Distrito Federal e aos municípios, a falta de produção e de disseminação de informações acarretou a exclusão das crianças das políticas educacionais e, sobretudo, a denegação do seu direito à educação”, descreve a carta.  

Leia a carta aqui!

Pular para o conteúdo