Avante

  /  AZUL   /  PRODEI inicia formação sobre currículo da Educação Infantil de Salvador

PRODEI inicia formação sobre currículo da Educação Infantil de Salvador

PRODEI inicia segunda etapa com formação sobre currículo da Educação Infantil revisãoA etapa de formação de gestores, coordenadores e professores para a implementação do Programa de Desenvolvimento de Educação Infantil (‎PRODEI) na Rede Municipal de Educação de Salvador teve início dia 28 de setembro, no Bahia Othon Palace e marca o início da segunda etapa do Programa que inclui, também, a construção de uma tecnologia de monitoramento e avaliação (já em andamento), que garantirá a constante melhoria do atendimento da Educação Infantil. Com dois dias de duração, o evento reuniu cerca de 1600 profissionais da Educação Infantil da Rede.
“A espinha dorsal do PRODEI é o Referencial Curricular para a Educação Infantil de Salvador. Esse foi um dos documentos que esse coletivo ajudou a construir ao refletir sobre o que é uma Educação Infantil de qualidade para essa Rede e como ela dialoga com uma concepção de Educação Infantil que se busca no Brasil”, disse no último dia de formação, Mônica Samia, uma das coordenadoras do Programa e consultora associada da Avante – Educação e Mobilização Social, instituição que é parceira técnica da Secretaria Municipal de Educação (SMED) de Salvador na construção do Programa.
O encontro, realizado em quatro turnos, com cerca de 400 profissionais em cada, apresentou a estrutura do PRODEI e a forma coletiva como ele foi construído. Professores, gestores, coordenadores pedagógicos e familiares foram escutados em rodas de conversas, colaborando e validando materiais elaborados para Programa, participando, assim, da construção de um currículo para a Educação Infantil de Salvador.
Com o intuito de dar continuidade à intensa participação que marcou a primeira etapa do Programa, a gerente de currículo da Secretaria Municipal de Educação, Gilmária Cunha, fez um convite aos presentes. “Vamos participar deste momento histórico da Educação de Salvador para que possamos escrever nossos nomes nesse capítulo tão importante e poder dizer que contribuímos para construir uma identidade pedagógica que nos representa”, disse.  Gilmária ressaltou, ainda, que tudo que foi construído coletivamente, desde agosto de 2014 até o momento, se trata de um currículo vivo. “Ou seja, é também uma oportunidade para que todos continuem a refletir e a contribuir com esta construção”, acrescentou.
Mônica Samia explicou à plateia que a proposta apresentada só poderá ser consolidada com a prática pedagógica dentro das instituições. “O documento curricular não é o currículo. É a base para o currículo. É o educador que vai fazer acontecer o currículo no dia a dia, na instituição”, explicou.  Mônica lembrou também que a Rede já possui uma história de boas práticas, só que essas iniciativas estão pulverizadas. “O PRODEI quer incentivar que os olhares sensíveis para as crianças, identificados em alguns atores da Rede, sejam impulsionadores de uma mudança”.
Para Carla Paiva, gestora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) CSU de Pernambués, “o PRODEI é uma oportunidade que hoje as escolas estão tendo de fazer uma discussão mais ampla enquanto Rede na Educação Infantil de Salvador”. Carla reforça que os bons trabalhos existem, mas, muitas vezes, são realizados de forma isolada dentro de cada instituição e que é a hora de uni-las como política pública.  “As pessoas tiveram a oportunidade de ser ouvidas nas Rodas de Conversa. Nós demos vez e voz ao que já era produzido para que esse material coletivo fosse pensado a partir da nossa realidade e não fosse algo vindo de fora pra dentro”.
Mônica Samia destaca ainda que a formação é mais uma oportunidade de participação, de entender o processo que se deu o PRODEI – os limites, mas também os esforços e as potencialidades do Programa. “É só o começo, porque teremos agora um processo de formação ao longo do ano, onde o que foi discutido aqui, em alguma medida, vai poder ser aprofundado”.
 
Ascendendo a chama da infância
Manter a chama que existe dentro de cada criança acesa. Foi com base nesse princípio que o encontro foi organizado de forma a se iniciar, cada dia, com uma experiência lúdica que pudesse despertar a flama da infância dentro de cada um dos presentes. No primeiro dia, o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Castro Alves realizou a “roda da saia” e convidou a todos para uma grande ciranda de flores.
No segundo, três instituições da Gerência Regional de Educação (GRE) – Cabula encenaram o livro infantil O sapato que miava. “O lúdico é como um viés para que possamos ingressar nessa linguagem simbólica da criança, que é característica dessa faixa etária até os cinco anos. Então, se eu preciso chegar até a criança de alguma forma, o lúdico e a arte são os instrumentos. E, na Educação Infantil, chegar a criança está muito além do aprendizado da leitura, da escrita e da matemática. A arte deve estar presente para potencializar tudo isso”, disse a gestora do CMEI CSU de Pernambués, Carla Paiva, que, ao lado do CMEI Nossa Luta e o CMEI CSU de Narandiba realizaram a performance.
As múltiplas linguagens da criança, em especial a arte, é um elemento bastante presente no Referencial Curricular para a Educação Infantil de Salvador. Para Carla, esse é um desafio prazeroso que o professor terá pela frente. “O professor precisa ver que, muitas vezes, não é apenas o professor de arte (especialista) que pode estar desenvolvendo a arte. Mas que ele pode favorecer e fazer com que ela esteja presente no cotidiano. O importante é contagiar as crianças cada vez mais. E se a gente vive uma coisa, fica muito mais fácil fazer com que o outro viva”.
 
Parceria por uma educação infantil de qualidade
“A Avante é uma parceira da Secretaria há algum tempo. Nós já fizemos muitos trabalhos com essa instituição, e dentro da área de Educação Infantil, porque entendemos que ela tem uma expertise já reconhecida nacionalmente na área, em defesa da primeira infância. Então, pensar na Educação Infantil para a Rede Municipal de Salvador, pensar em um parceiro que pudesse contribuir, efetivamente, com qualidade para Educação Infantil, é pensar na Avante”, disse Gilmária Cunha.
A gerente de currículo da Secretaria Municipal de Educação afirma que o nome da Avante é muito bem aceito na Rede e que isso já é meio caminho andado para qualquer projeto que a Secretaria queira colocar em prática. “De fato, a Avante tem essa validação de quem faz educação de qualidade, e Educação Infantil especificamente. Por isso, e porque a construção coletiva é um pressuposto do Programa e uma linha norteadora do trabalho da Avante, que constrói com e não para, que a instituição foi convidada e, felizmente, aceitou o nosso convite”.
A gestora do CMEI CSU Pernambués, Carla Paiva concorda. “O trabalho da Avante traz credibilidade ao que estamos fazendo aqui. Seja pelas provocações, pelos estudos, pelos profissionais que a gente conhece, que a gente já teve a oportunidade de estar junto em outras formações. E que trazem um olhar sobre a criança dizendo que a gente precisa ver, ouvir, sentir quais são as necessidades delas para que possamos ajuda-las no seu desenvolvimento”.
O Programa é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Salvador e foi criado com o objetivo de contribuir para ​que ​a meta nº1 do Plano Nacional de Educação (PNE) -​ de aumento da oferta -, venha acompanhada pela melhoria da qualidade. Na primeira etapa, o PRODEI elaborou, sempre com a participação de professores, gestores e familiares, a proposta curricular de Educação Infantil, com o intuito de atender as especificidades das crianças soteropolitanas; e o desenvolvimento de diversos materiais voltados para crianças, professores, coordenadores e gestores, e mais um kit exclusivamente para as famílias. O Programa abrangerá as 276 CMEI e escolas que atendem a Educação Infantil da Rede, e beneficiará mais de 20 mil crianças.