Avante

  /  Notícias   /  Mobilização   /  “Nem herói, nem culpado. Professor tem de ser valorizado!”

“Nem herói, nem culpado. Professor tem de ser valorizado!”

Semana de valorização dos professores ocorrerá em mais de 300 municípios de todo o País

Na quarta-feira (24/4), ato público levará professores de todo o Brasil ao Congresso Nacional. Ações reforçam a importância da valorização dos profissionais de educação em sintonia com os debates nacionais sobre formação docente, piso salarial, plano de carreira, condições de trabalho e avaliação da docência

Maior evento temático, descentralizado e autogerido sobre educação no mundo, a SAM (Semana de Ação Mundial) ocorre em mais de cem países. No Brasil, mais de 300 municípios de todos os estados do país e o Distrito Federal se mobilizam em torno do Direito à Educação até o próximo dia 28. Além desse período oficial, atividades sobre os temas da SAM acontecerão ao longo do ano em todo o país. Associações de bairro, sindicatos, secretarias municipais de educação, creches, escolas, universidades, fóruns, conselhos de educação e organizações não governamentais promoverão audiências públicas, aulas abertas, seminários e atos lúdicos envolvendo suas respectivas comunidades para o debate sobre a valorização dos profissionais de educação.

Chegando à sua 11ª edição, a Semana de Ação Mundial pela Educação é a realização de um debate em escala global de temas comuns aos desafios enfrentados para alcançar uma educação pública de qualidade em todo o mundo. É uma iniciativa da Campanha Global pela Educação e acontece desde 2003 para exigir que os governos cumpram os acordos internacionais da área, entre eles o Programa de Educação para Todos (Unesco, 2000). No Brasil, a Semana é coordenada pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, em parceria com outros movimentos, organizações e redes.

Junto com um Comitê Técnico composto por 11 instituições, a Campanha desenvolveu materiais com o tema “Nem herói, nem culpado. Professor tem de ser valorizado! Ter bons educadores e educadoras é direito da sociedade e dever do Estado”, levantando dados e subsídios sobre a precariedade das condições de trabalho, os desafios para a formação inicial e continuada de docentes, as iniquidades na implantação do piso salarial nacional e plano de carreira. Distribuídos em kits contendo foldermanual com sugestão de atividadescartazes para divulgação e materiais complementares para estimular o debate nas comunidades escolares e acadêmicas, a Semana reforça a autonomia destes grupos com ações propositivas, sugestões de atividades, materiais de referência e fortalece laços e ações locais. Ao todo, mais de 500 eventos estão previstos para acontecer na Semana.

Ato público no Congresso Nacional – Junto à SAM, a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), membro do Comitê Diretivo da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e do Comitê Técnico da SAM, organiza a 14ª Semana Nacional em Defesa da Educação Pública e de Qualidade. Na quarta-feira (24/4), como atividade conjunta das suas semanas, a CNTE realizará no Congresso Nacional um ato público, com a participação de professores de todos os estados brasileiros. Para o presidente da CNTE, Roberto de Leão, “a semana será marcada por atos públicos, passeatas e mobilizações no Brasil inteiro. O grande dia será o dia 24, quando reuniremos quase 1000 pessoas no Congresso, e teremos manifestações nas câmaras de vereadores e deputados em todo o país”.