Avante

  /  Sem categoria   /  Encantamentos por novos saberes

Encantamentos por novos saberes

Há 25 anos a Avante – Educação e Mobilização Social vem realizando formação junto aos profissionais da área de educação Brasil afora. Uma ação que tem como fim a valorização e desenvolvimento desses profissionais, que têm grande importância para a constituição de uma sociedade livre, pensante e democrática, sem nunca perder de vista, uma educação de qualidade para todos. 

Com a  pandemia do COVID – 19, muito tínhamos a considerar para prosseguir com esse trabalho e, mais do que nunca, apoiar os profissionais em suas reflexões, suas emoções e seus novos desafios.  Assim, a equipe de formadores da Avante, reuniu sua expertise em realizar formações comprometidas com o desenvolvimento profissional, considerando as dimensões pessoal e relacional da prática docente, para fortalecer as ações de formação a distância e torná-las espaços de acolhimento, escuta, aprendizagens e fortalecimento de uma educação comprometida com os desafios e demandas atuais.

Após um ano das formações online e laços ora construídos, ora fortalecidos, é com imensa alegria e sensação de dever cumprido que compartilhamos  depoimentos de profissionais que percorreram esta jornada, nas ações formativas que realizamos em diversos municípios brasileiros.

Com a palavra,  Roberto Geraldo Rodrigues, coordenador pedagógico do Centro Municipal de Educação Infantil da Rede Municipal de Cariacica (ES), sobre sua trajetória de aprendizagens, encantamentos e novos saberes.

Por: Roberto Geraldo Rodrigues

Ao iniciar o curso pela Avante, confesso que fui participar sem expectativas grandiosas, como quem vai apenas para mais uma formação, esperando encontrar as mesmas ideias, discussões e propostas de outras situações de formações. Ledo engano meu! Tão logo eu participei dos primeiros encontros, pude perceber que se trata de novas e “renovadoras” propostas, num despertar para a reflexão da prática pedagógica! Pois é, a vida nos reserva surpresas, ora boas… ora desagradáveis! Quão boas surpresas eu tive com as vivências, competências e experiências dos mediadores da Avante, que foram me envolvendo num novo contexto de formação, conduzindo-me para uma dimensão de encantamento pelos assuntos tratados. 

De repente, não mais que de repente – como diz o poeta – despertou-se em mim uma nova aurora para a aquisição de novos conhecimentos tão importantes e necessários para serem repassados aos docentes e discentes da escola em que atuo como pedagogo [coordenador pedagógico]. Assim, mergulhei nas propostas do curso, como quem mergulha em águas refrigeradoras em um dia de sol escaldante! Neste mergulhar, aprofundo-me cada vez neste oceano maravilhoso da Educação Infantil, que renova a alma de quem ensina e aprende ao mesmo tempo!

Preciso dizer que foram e estão sendo maravilhosas as aprendizagens cotidianas por meio dos módulos!  A cada encontro, módulo, leitura, vídeo ou outras novidades, uma avalanche de concepções didáticas e de novos saberes me é apresentada, fazendo-me refletir na prática educativa. Como a Educação Infantil é a minha causa, assim como é para a Avante, que também abraça de forma tão calorosa e intensa o mesmo propósito, isto faz com que nos entrelacemos na busca incessante dos direitos da criança. 

Um destes direitos é ter “uma escola equitativa, plural e acolhedora, um espaço no qual possa contar com a educação e o cuidado apropriados à sua faixa etária e em que seja respeitada a sua condição peculiar de pessoa em desenvolvimento” – como reza a premissa do Programa Paralapracá. A escola em que atuo precisa ser plural e acolhedora e é formada por mim e por vários outros profissionais. Assim, é necessário que sejamos permanentemente seres responsáveis pelo acolhimento das crianças que pisam o chão desta escola, em busca de seus direitos como pessoa. Para que possamos formar as crianças como “cidadãos” na acepção digna e verdadeira da palavra, precisamos nos formar a cada dia, como agentes “melhoradores” e transformadores da sociedade. E parte desta formação, este curso, tão competentemente, nos propicia.  

Ao longo dos módulos que já concluí, pude constatar claramente que a Avante – Educação e Mobilização Social   é, de fato, uma organização que cumpre fidedignamente a missão para a qual foi criada: “contribuir para o desenvolvimento humano e a participação  e transformação social, com vistas  a uma sociedade mais justa, responsável e solidária”. Assim, neste relevante projeto, tenho percebido a responsabilidade e a seriedade nas propostas que convergem para uma Educação Infantil de qualidade. Posso notar também que a Avante defende com galhardia pedagógica este perfil de boa qualidade da Educação das crianças, modelado pela combinação de rotinas de formação continuada ao acesso a materiais pedagógicos para os profissionais que trabalham com elas.

Encanta-me também, como educador, a coleção de materiais do programa Paralapracá, que estrutura a formação continuada e impacta positivamente no atendimento às crianças, a partir de seus tão relevantes eixos: Assim se brinca, Assim se faz artes visuais, Assim se faz música, Assim se faz literatura,  Assim se explora o mundo,  Assim se organiza o ambiente. São apenas “meia-dúzia” de temas, porém, eles se multiplicam em variadas e ricas possibilidades de se realizar um grandioso e produtivo trabalho pedagógico nos espaços escolares. A começar pelo incentivo às brincadeiras, um direito indissociável do “ser criança”, com suas dinâmicas, multifacetadas e criativas “artes”, passando pela descoberta do valor estético e colorido das Artes com seus encantos; também pelas melodias e sutilezas da musicalidade e dos sons, incluindo neste caminhar a beleza e o poder da palavra escrita, falada, cantada e poetizada… Neste ir e vir constante, o mundo vai sendo explorado, desde uma visão infantil até visões multidimensionais que se ampliam para uma melhor organização do “ser e estar” cercado pelos muros de uma escola e também “ser e estar” na imensidão de diversos horizontes…

Posso dizer que, deveras, muito tenho aprendido com os encontros, textos, vídeos, trocas de experiências que o curso oferece. Aliada a esta aprendizagem tão sólida, registro a emoção de interagir com colegas de profissão e também com os competentes mediadores/facilitadores da Avante. Nesta relação dialógica, vamos construindo juntos uma formação que nos conduza a uma prática mais produtiva, o que nos permite ser melhores educadores a cada dia. Falando nisso, já diz o senso popular: “nada como um dia após o outro”. Inicialmente, eu imaginava que iria fazer apenas mais “um curso”, entretanto, depois de dias e dias “avante” na caminhada, e sem querer aqui “rasgar seda”, bem sei eu que se trata de “o curso”. 

Eu não poderia deixar de registrar como as discussões, estudos e reflexões  sobre o eixo formativo durante o curso influenciaram positivamente na minha prática pedagógica. Pudemos, eu, os facilitadores do curso e os colegas, tecer vários saberes, descobrindo sabores numa construção coletiva que impacta a prática pedagógica no cotidiano escolar. 

Nestas reflexões, lembro-me de um fato da minha prática profissional que foi motivado pela formação Avante. Cito a inserção da literatura como tema nos cadernos de atividades das crianças, que tanto vem influenciando positivamente a aprendizagem. Ao receber incentivo por meio das formações, fui despertado para contagiar a equipe de professores. Assim, fomos caminhando juntos e nos envolvendo diante da necessidade de se trabalhar a literatura com elas. Neste contexto, fomos conduzindo e sendo conduzidos pelo prazer da arte literária, descobrindo e redescobrindo novas veredas por meio de histórias infantis e contos de fadas no cotidiano escolar. 

Há de se registrar, ainda, que nós, educadores do CMEI, pudemos também contagiar literariamente as famílias das crianças, ao pedirmos que os responsáveis leiam para elas livros, histórias e contos sugeridos pela equipe. Neste encontro familiar proporcionado pela literatura, as crianças são filmadas recontando as histórias, sendo os vídeos enviados para a escola e recebidos sempre com muita alegria pelos professores. Ao assistirmos os vídeos dos pequenos, percebemos o entusiasmo deles pelas tramas, enredos, personagens e encantos do mundo infantil. É claramente perceptível na fala, no olhar e gestos das crianças, todo um encantamento advindo daquilo que elas puderam absorver, permeado pela beleza e pela fantasia presentes no mundo das letras. E ao recontar a história, as crianças desenvolvem sua criatividade, seu gestual, capacidade de expressão, improvisação, aquisição de novas palavras e outros valores tão importantes e necessários a um ser que está em desenvolvimento cognitivo, psíquico e social. 

Resta-nos ir em frente, sempre avante e com os corações repletos de entusiasmo com esta preciosa arte de aprender e de ensinar. Pois, para o educador que sempre busca se atualizar e se aperfeiçoar, “não há caminhos sem flores, basta caminhar para vê-las.”