Avante

  /  Direito das Crianças e dos Adolescentes   /  Documento recomenda natureza no protocolo de retomada das aulas

Documento recomenda natureza no protocolo de retomada das aulas

Apresentar sugestões para uso das áreas verdes e espaços abertos dentro e fora das escolas na retomada das aulas no contexto da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), que já ultrapassa um ano e meio. Esta é a proposta do documento Planejando a reabertura das escolas: as contribuições das pesquisas sobre os benefícios da natureza na educação escolar, iniciativa do Instituto Alana, por meio do programa Criança e Natureza, que contou com a participação da Avante – Educação e Mobilização Social.

Com o compromisso permanente de trabalhar pelos direitos da primeira infância e por uma Educação de qualidade para todos, a Avante participou da construção do documento, em defesa do contato da criança com a natureza. Bandeira institucional ao longo dos seus 25 anos de atuação, alinhada com a Constituição Federal de 1988, que determina a Educação como um direito voltado para o desenvolvimento pleno do sujeito, cujo contato com os ambientes naturais, nesse momento de reabertura das escolas, num contexto de pandemia, torna-se ainda mais importante. Vale lembrar que, de acordo com o documento, a realização de aulas ao ar livre faz parte das recomendações publicadas pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

A intenção do documento é contribuir com as recomendações e medidas já pensadas para o planejamento seguro da volta às aulas, tendo em vista a promoção de saúde e o aumento da capacidade de atendimento seguro aos alunos, para além das medidas sanitárias previstas para conter a disseminação do vírus. O trabalho envolveu diversas instituições e foi elaborado com base em um pensamento intersetorial, observando as recomendações oficiais da Organização Mundial de Saúde (OMS) e dos órgãos responsáveis por saúde e educação.

Destacam-se a recomendação da inclusão das áreas de urbanismo, meio ambiente, esportes e lazer na composição das comissões estaduais e municipais para o planejamento e definição de protocolos de volta às aulas, considerando os diferentes contextos e realidades. E a sugestão de soluções tais como a criação de salas de aula temporárias, a partir do uso de áreas de parques e clubes municipais; aproveitamento dos pátios escolares, quando houver; dentre outras. 

Confira o documento na íntegra clicando aqui.