Avante

  /  Home Page   /  Alunos da ESCOLAB assistem peça sobre prevenção ao suicídio

Alunos da ESCOLAB assistem peça sobre prevenção ao suicídio

Alunos da Escola Laboratório da Prefeitura de Salvador (ESCOLAB), de Alto de Coutos, debateram sobre suicídio, depressão e bullying, na tarde do dia 26 de setembro. O grupo Adolescer com Arte, que une arte e saúde na intenção de compartilhar informações e sensibilizar, encenou a peça Grito de Alerta para cerca de 130 crianças e adolescentes. A ação aconteceu a partir de uma demanda da Escola, articulada em parceria com o projeto Estação Subúrbio – nos trilhos dos direitos (Avante e KNH), por meio do Balcão Psicossocial.

O espetáculo exibiu, em quinze minutos, o processo que pode ir da angústia, ao suicídio, para que as crianças e adolescentes entendam e reflitam sobre seus comportamentos e previnam situações semelhantes. “Essa oportunidade foi de grande importância para nossas crianças. Falar sobre a depressão, que pode levar ao suicídio, se faz necessário. Foi uma chance de compreenderem o que acontece, e pode acontecer, em uma época na qual os índices de suicídio são altos”, ressaltou Cássia Góes, diretora da ESCOLAB. A demanda foi identificada pela equipe pedagógica da Escola, que contou com a parceria do projeto Estação Subúrbio para identificar a melhor forma de abordagem junto aos alunos.

“É interessante, com crianças e adolescentes, falar numa linguagem o mais próxima possível e o grupo, além de usar a arte nesse diálogo, é integrado por jovens”, disse Deise Nery, assistente social do Estação Subúrbio. O Adolescer com Arte é parceiro da Avante desde a execução do projeto Comunidades Ativas, em 2017, que atuava com a formação de lideranças comunitárias nos bairros do Calabetão, Jardim Santo Inácio e Mata Escura. Entre os 40 líderes formados no projeto estava Lenilson Bento, idealizador e facilitador do Grupo, também agente comunitário da Unidade de Saúde da Família – USF em Mata Escura. O Grupo usa o teatro na prevenção ao suicídio, desenvolvendo esse diálogo em diversas escolas.

O Adolescer com Arte foi identificado pela equipe do Balcão Psicossocial, uma das ações realizadas pela Avante na ESCOLAB, por meio do Estação Subúrbio, uma parceria coma KNH. O Balcão é uma tecnologia social criada pela Avante para conectar serviços sociais básicos às demandas da comunidade, promovendo acesso a direitos cidadãos e melhorando a qualidade de vida  .

Enredo

A personagem principal da peça sofre bullying na escola e, ao chegar em casa, não tem a devida atenção dos pais. Excluída, vivendo mudanças hormonais da adolescência, entra em depressão e comete o suicídio, depois de muitos sinais de alerta. Dessa forma foi abordado como o ambiente escolar e as pessoas em geral enxergam o outro e são, também, responsáveis pelos sentimentos do próximo.

Para Lenilson Bento, algumas atitudes são naturalizadas e nem sempre entendidas como violentas. Ele acredita que a arte pode ajudar a perceber atos individuais e coletivos que influenciam no adoecimento do outro. “Às vezes tudo começa com uma ‘brincadeira inocente’ e eles ainda não tem a capacidade de avaliar as consequências de alguns atos. Então, a partir de uma atividade lúdica e do debate é possível promover a reflexão sobre ‘o que é que eu estou fazendo?’. A arte tem esse poder de fazer com que a gente se projete e se coloque no lugar do outro”, disse Lenilson.

Após chegar em casa, Maria Eduarda, aluna da ESCOLAB, compartilhou com a mãe o que sentiu e refletiu ao assistir à peça: “se a criança que sofre de bullying se cala e não desabafa com um adulto, continua com a dor”, disse.

Setembro Amarelo

Setembro foi definido como mês de prevenção ao suicídio após 2015, quando o Brasil passou a lançar campanhas para promover estratégias de prevenção recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para enfrentamento ao problema, que já atinge cerca de 800 mil pessoa por ano em todo o mundo.

Para Lenilson, é essencial que a escola abra espaços como esse, pois nem sempre a criança tem a compreensão do que está acontecendo. “Essa é uma semente plantada para que o olhar seja mais sensível, dentro do que elas possam absorver. A surpresa é um colégio municipal de Salvador ser comprometido com isso e tornado o ambiente bastante receptivo, facilitando e construindo a troca de saberes”, disse.

O Brasil é o oitavo de dez países com os maiores índices de suicídio de jovens entre 15 e 29 anos. Segundo pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) houve um aumento de 24% de vítimas. Boa parte, com a idade do público da ESCOLAB. “É nessa idade que precisamos ficar ainda mais atentos aos sinais dos colegas. Ainda mais quando vemos alguém triste, como a garota da peça. A peça ajuda as crianças a se conscientizarem, para não fazerem chacotas dos outros, aprender a respeitar os colegas e darem importância ao Setembro Amarelo”, disse Micaelen, 17 anos.